vá de bike – todo último sábado do mês tem bicicletada, as 9:30am

O Trânsito e a Bicicleta

 

O aumento significativo do número de veículos particulares está causando um sufocamento em Resende. A cidade está cada vez mais poluída e congestionada, as vias cada vez mais perigosas e “rápidas”. Sinaleiros, avenidas, e pontes favorecem visivelmente o motorista. Alguns semáforos ficam 90 segundos abertos para os carros 15 para o pedestre, o privilégio que a prefeitura e a cidade dão para o carro é escancarado. Existem alguns projetos que visam melhorar a vida do ciclista em Resende, mas de longe não é o suficiente.

 

O que se gasta para melhorar as vias para os automóveis é absurdamente maior que os gastos para melhorar a mobilidade dos pedestres e ciclistas (investir em vias para os veículos particulares é um incentivo ao uso dele, ou seja, a tendência é aumentar o numero de carros, congestionamentos, poluição e menos espaço para os transeuntes da cidade).

Em uma cidade do tamanho de Resende cairia muito bem transportes para pequenas viagens (até 10km), que são tranquilamente feitas por uma bicicleta. Mas o que se vê é o aumento de vias para os carros e uma diminuição do espaço para outros meios de locomoção. Existem pouquíssimos quilômetros de ciclovias e ciclofaixas, em 2008 havia 4 km, agora deve ter uns 6, que começam em lugar nenhum e acabam e outro lugar qualquer, sem nenhuma interligação. E para piorar a situação a prefeitura recebeu em 2008 o valor de 2,5 milhões de reais do governo federal e ainda ia contribuir com uma contra partida de 250 mil Reais, para fazer uma ciclovia do Campos Elísios até a Cidade Alegria. Eu não vi, se alguém viu, me conte.

Nota-se que existem muitos ciclistas na cidade e nos arredores, falta uma infra-estrutura capaz de atender essa modal, o que aumentaria a segurança e consecutivamente o número de ciclistas na região.

Já está comprovado que a bicicleta é o meio de transporte mais eficiente para as cidades. Em desafios intermodais, vários tipos de transportes são utilizados para chegarem ao mesmo local com distância de uma média de 6 km (Em SP ela foi mais rápida que o helicóptero e virou notícia mundial). De todos os seis desafios feitos, três em São Paulo e três em Curitiba, a Bike foi campeã. É a mais rápida, ecológica, econômica e pode trazer saúde para quem está pedalando. Sem poluição sonora nem atmosférica.

Resende precisa de uma atitude agora! Antes que fique ainda mais difícil. Temos que incentivar o uso de meios de transporte sustentáveis aliado ao uso racional do carro particular. O comodismo está destruindo o planeta.

Em todas as vias que estão acontecendo alterações deve-se pensar em implantar ciclofaixas e ou ciclovias, para criar uma rede cicloviária funcional. Também é indispensável aumentar o espaço para o pedestre (uma pequenina calçada cheia de obstáculos como postes, placas, buracos etc. Mal dá para chamar de calçada) e melhorar o sistema público de transporte.

Vamos mostrar que existe muita gente a favor da bicicleta. Colabore e venha participar da BICICLETADA DE RESENDE.

TODO ÚLTIMO SÁBADO DO MÊS
com concentração às 9:30 da manhã e saída às 10:00 no início do calçadão, no relógio em frente a Bady.

As Bicicletadas que acontecem no Brasil foram inspiradas pelo “Critical Mass” – Massa Crítica, onde ciclistas se juntam para reinvidicar seu espaço nas ruas. Os principais objetivos da Bicicletada são divulgar a bicicleta como um meio de transporte, criar condições favoráveis para o uso deste veículo e tornar mais ecológicos e sustentáveis os sistemas de transporte de pessoas, principalmente no meio urbano.
A Bicicletada, assim como a Massa Crítica, não tem líderes ou estatutos, o que leva a variações de postura e comportamento de acordo com os participantes de cada localidade ou evento.

O maior mote da Bicicletada é “um carro a menos”, usado principalmente para tentar obter um maior respeito dos veículos motorizados que trafegam nas ruas saturadas das grandes cidades.

Pelo fim da imobilidade na cidade, pela convivência entre os seres humanos, pelo resgate do espaço público e pelos direitos dos transeuntes.

Vamos fazer de Resende, um exemplo em mobilidade.

Pode vir de skate, patins, qualquer outro meio de transporte que use a força humana como combustível.

Um protesto bem humorado.

É uma pedalada tranquila, não é uma corrida.

“Aqui todos são vencedores”

Tiê Passos da Silva

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: